GALOS COMBATENTES E UM ESPORTE MILENAR
CONHECENDO UM POUCO DO GALISMO

Tratar de assunto tão polêmico nos faz viajar pela história da humanidade, pois essas aves nos acompanham há mais de cinco mil anos, ocupando sempre lugar de destaque na vida de pessoas que admiram, cuidam e se dedicam á criação dessa espécie de ave tão especial. Durante todo esse tempo os galos sempre se enfrentaram e nem por isso a espécie nunca foi ameaçada de extinção.

Ao contrário do que muitos apregoam, os galistas vem preservando e cuidando dessa espécie. As aves combatentes são cuidadas desde muito cedo, poderíamos dizer que até mesmo antes de nascer, pois existe a preocupação por parte dos criadores a partir dos cruzamentos direcionais ou seja, sempre se escolhe o melhor galo e a melhor galinha para se tirar os melhores pintos, passando pela fase de reprodução até o nascimento do pinto. São muitos os cuidados e zelo que se tem na criação do pinto até que se torne uma ave adulta, não se descuidando em nenhum dos pontos como: Alimentação, Saúde e Medicamentos, como também um manejo e instalações adequados ao comportamento dessa ave milenar.

Podemos afirmar que existem exemplares dessas aves que chegam a viver dez anos ou mais com saúde, alimentação e tratamento que poucos animais têm o direito de usufruir. Seria hilariante comparar uma ave combatente a uma ave da mesma espécie dita como sendo "industrial". Pois período de vida dessa ultima é de 45 dias, passando esse curto periodo se alimentando 24 horas por dia.

O certo é que, para se criar determinados animais deve-se antes pesquisar e conhecer suas aptidões, seus instintos, seus hábitos, enfim, tudo o que se relaciona á sua vida.

A espontânea aptidão á luta dessa espécie não foi imposta pelo homem, sendo transformada em esporte com regulamento, a fim de que não haja desproporcional domínio que venha a favorecer a um dos combatentes.

Muitos são os argumentos em defesa da preservação da espécie e do esporte galístico, já que preservação e o esporte estão intimamente ligados. Primeiro é preciso entender a natureza e o instinto dessas aves, este é o ponto chave da questão, para que se possa resolve todas estas disputas de opinião entre aqueles que defendem e os que são contra o galismo. Nas explicações que seguem, o compromisso é com a verdade procurando esclarecer aspectos relacionados á vida e a índole dessas aves. Os galos combatentes pelo temperamento que possuí são de difícil manejo, começam a brigar muitas vezes a partir dos primeiros dias de vida. Para ser ter uma ideia um galo quando adulto, mesmo que você coloque a disposição dele agua, comida e uma fêmea e se no local estiver presente outro galo, ele nem percebe a alimentação nem a fêmea, pois primeiro vai brigar com o outro galo, porque é o que ele gosta de fazer, é da sua índole. Por isso os criadores têm que ter conhecimentos apropriados, dedicação, paciência e zelo.

A única coisa que um galo combatente realmente gosta de faze é brigar, daí o seu nome galo de briga. Existe algo pior de que ser impedido de fazer o que o mais gosta? Será que essas pessoas que tanto criticam já perguntaram a si mesmos se os galos querem deixar de fazer o que eles mais gostam? Essas pessoas querem mudar o instinto dos animais que foi dado, acreditamos, por Deus. Instinto, caros amigos, não se muda. Essas aves sempre vão permanecer assim. Caso essas pessoas não gostem disso, infelizmente a única alternativa para elas é a extinção da espécie, isto sim seria um crime.


©  2018 Galo Esportivo